Bernd e Hilla Becher – Contacts

“Objetividade não significa que encontramos a realidade. Longe disso. Significa que o objeto representado é capaz de falar por si só.”
Hilla Becher

 

Bernd e Hilla Becher realizaram, ao longo de 4 décadas, uma incansável documentação das estruturas fabris da indústria de carvão e do ferro na Europa Central. Mais. Definiriam um estilo que influenciou gerações de fotógrafos, sobretudo os que se reuniram a partir da Academia de Artes de Dusseldorf. Este grupo, de onde saíram importantes nomes da fotografia contemporânea como Andreas Gursky, Candida Hofer, Thomas Struth, entres outros, ficou conhecido como “Escola de Dusseldirf”. O casal Becher lecionou fotografia naquela instituição a partir de 1976 e a sua gramática se fez presente na obras dos seus alunos.
As primeiras fotos dos Becher datam de 1958, na região de Rhur, na Alemanha. De lá percorreram outros países, como França, Bélgica e Grã-Bretanha, inventariando plantas fabris em desparecimento. Estavam em busca de uma fotografia onde o objeto retratado se expressasse por si só, de forma objetiva. Apresentavam suas fotografias em composições de múltiplas imagens, denominadas tipologias, onde era possível verificar suas semelhanças e especificidades. Em 1990, receberam o prêmio de escultura da Bienal de Artes de Veneza.
Bernd e Hilla aparecem aqui num fragmento do vídeo Contacts de Willian Klein, série de documentários sobre importantes nomes da fotografia mundial. Eles apresentam o seu trabalho e o seu pensamento sobre o fazer fotográfico a partir de folhas de contatos.

documentário / cor e p&b / 14 min / 1989 / França

Ficha técnica:
Direção: William Klein
Produtora: KS Visions e Riff International Production

 

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>